Os irmãos Carlos e Luís Serrano Mira – proprietários da Herdade das Servas, localizada a poucos quilômetros da cidade de Estremoz – vão, finalmente, lançar o livro que retrata o legado vitivinícola da família e, claro, da região alentejana. Sob o título “A História da Vinha e do Vinho no Alentejo – Legado de uma família a produzir desde 1667” e a autoria do investigador e historiador José Calado, a obra resulta de um levantamento histórico exaustivo realizado com a ajuda de Luís Serrano Mira.

A apresentação é duplamente celebrada, uma vez que terá lugar no dia 24 de Outubro, às 17h30, da sede da Rota dos Vinhos do Alentejo, em Évora, e no dia 09 de Novembro, às 18h00, em local ainda a revelar em Lisboa. Um livro que muito em breve estará disponível em livrarias de Norte a Sul de Portugal, com um preço de capa de €45,00.

Assim, 350 anos e 13 gerações depois, o percurso vitivinícola da família Serrano Mira foi documentado em uma obra. A história abarca a sua incursão pela cultura da vinha e do vinho, a qual teria começado, pelo menos, em 1667, ano identificado em duas talhas que, até hoje, conservam religiosamente. Ambas constituíram o ponto de partida para o livro, bem como a pesquisa aprofundada de diversos suportes escritos que permitiram encontrar dados relevantes para o autor.

Apesar da ligação à família Serrano Mira, a obra tem como finalidade contar a história de um Alentejo Vinhateiro. Luís Serrano Mira reforça esta cortesia no Prefácio:

“O objetivo a que nos propusemos foi sim o de contribuir para a valorização do Alentejo como região produtora deste famoso néctar, através de uma reflexão, documentada e cronológica, de vários acontecimentos que marcaram a História da Vinha e do Vinho neste território desde tempos imemoriais até ao presente.”

Segundo José Calado, esse livro vem confirmar a relação indissociável da vinha e do vinho na cultura alentejana desde um passado remoto. Ao mesmo tempo, enaltece a importância, a conservação e a difusão dessa tradição, além de se propor a revelar acontecimentos devidamente contextualizados, no âmbito da história da viticultura dessa região, e a impulsionar a concretização de novos estudos metódicos acerca desta temática.

FICHA TÉCNICA

Sobre a Herdade das Servas:

Family Winegrowing Legacy Since 1667: 350 anos e 13 gerações depois

Carlos e Luís Serrano Mira nasceram no seio de uma família de produtores, com uma forte ligação à propriedade rural e ao vinho. Cresceram a observar as suas práticas e a ouvir, com orgulho e atenção, os ensinamentos que os seus pais, avós e bisavós lhes transmitiam. Desde cedo, tomaram consciência de que nada se consegue sem trabalho e sacrifício. Beberam inspiração na tradição familiar e adicionaram a sua visão, o que os levou à criação da Herdade das Servas, em 1998.

A herança de duas talhas datadas de 1667 e mais de uma centena de fontes históricas asseguram que a produção de vinho na família acontece há pelo menos 350 anos e 13 gerações. Continuam a aprofundar conhecimentos sobre as práticas e métodos utilizados ao longo dos tempos e a estudar a evolução dos mesmos. Geração após geração, sempre na senda da qualidade. Acreditam que trabalho, dedicação e entrega são fatores-chave de sucesso, elevados ao expoente máximo quando há uma simbiose entre as aprendizagens herdadas e as inovações introduzidas no presente. Consideram que esta será a marca do seu tempo e o legado que deixarão às gerações vindouras.

Na adega da Herdade das Servas vinificam casta a casta. Só assim conseguem avaliar e decidir se avançam para vinhos varietais ou de lote, garantindo a máxima qualidade em cada opção. O estágio na cave é feito em barricas de carvalho americano e/ou francês. Depois de engarrafados, os vinhos repousam o tempo necessário e adequado a cada uma das marcas, para que possam adquirir a plenitude das suas características.

Enoturismo

O enoturismo foi desde sempre uma “peça” fundamental no projeto Herdade das Servas. Receber e mostrar o processo de criação dos vinhos faz parte da filosofia dos irmãos Serrano Mira. Isto, sem nunca esquecer as etapas de degustação vínica e harmonização gastronômica. Depois de uma visita guiada pela vinha, adega e cave da Herdade das Servas, a paragem acontece na sala de provas e/ou no restaurante. A Herdade das Servas zela, atualmente, por um patrimônio de cerca de 350 hectares, divididos em oito vinhas, distintas entre si e que se complementam na identidade e na idade, algumas com mais de 70 anos.

Castas e Vinhas

Plantadas por talhões, são várias as castas presentes nas diversas vinhas da Herdade das Servas: Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Aragonez, Cabernet Sauvignon, Castelão, Merlot, Petit Verdot, Syrah, Touriga Franca, Touriga Nacional e Trincadeira, nas tintas; Alvarinho, Antão Vaz, Arinto, Encruzado, Roupeiro, Sauvignon Blanc, Sémillon, Verdelho e Viognier, nas brancas.

As vinhas da Herdade das Servas estão instaladas a cerca de 300 metros, acima do nível do mar, entre as Serras d’Ossa e de São Mamede.

Os solos são vermelhos, derivados de calcários pardos ou cristalinos, com manchas de xisto, beneficiando de um clima mediterrânico, com elevadas amplitudes térmicas e verões quentes e secos. A simbiose entre as vinhas e a enologia é assegurada por uma equipe constituída por Ricardo Constantino e os irmãos Carlos e Luís Serrano Mira.

Comentários

Comentários