“Cozinhar com os Azeites, ao vivo e a várias mãos” dá mote a jantar temático com os chefes André Magalhães, João Paulo Magalhães e Daniel García Peinado

A segunda edição do fórum Douro TGV vai acelerar nos dias 23, 24 e 25 de maio, no Palácio do Governo Civil, em Vila Real. À semelhança de 2017, o evento terá três paragens obrigatórias: Turismo, Gastronomia e Vinho. Aplicando a expressão “no meio está a virtude”, viajamos de imediato para o dia 24 de maio, onde o tema Gastronomia vai trazer à tona o líquido extraído da azeitona.

O azeite começa a ganhar terreno à mesa portuguesa. Porém, impera a pergunta: quando ocupará o seu devido lugar? A esta e outras questões vai responder o trio de especialistas convidados para o debate intitulado Azeite: um produto D’ouro, marcado para as 14h30.

No palco estará Francisco Pavão, da Associação de Olivicultores de Trás-os-Montes e Alto Douro, produtor e especialista, um dos maiores experts de azeite em Portugal, para falar sobre o azeite do Douro, seus benefícios e da importância da atribuição de Denominação de Origem, estudo que está a ser conduzido por um grupo de trabalho do qual é um grande impulsionador e dinamizador.

Do Brasil chegará Patrícia Galasini para abordar O Azeite Português no Mundo. O caso do Brasil. Com um currículo invejável no universo do azeite, já teve o privilégio de degustar mais de quinhentos rótulos dos quatro cantos do mundo. Além de provadora profissional de azeites, é membro da Confraria do Azeite, docente e assessora nesta área, responsável pelos eventos brasileiros ExpoAzeite e Encontro Internacional de Olivicultura, consultora especialista no desenvolvimento de eventos exclusivos para produtos de alta gastronomia e autora dos livros Pizzas do Mundo (2014) e Introdução ao Mundo do Azeite (2010).

A moderação caberá a Edgardo Pacheco, jornalista, crítico de vinhos e gastronomia, grande conhecedor de azeites, autor do guia Os 100 Melhores Azeites de Portugal e recentemente premiado neste âmbito pela revista Grandes Escolhas. No final, uma prova comentada de azeites e a degustação de produtos feitos com azeite.

À noite chega a vez de levar o azeite para a mesa num jantar temático – Cozinhar com os azeites, ao vivo e a várias mãos! –, que vai reunir novamente um trio, desta vez de chefs, na cozinha do restaurante Panorâmico da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). São eles André Magalhães, da Taberna da Rua das Flores e da Taberna Fina (Lisboa), João Paulo Magalhães, do futuro restaurante da Quinta do Ventozelo (Douro), e Daniel García Peinado, membro da Academia Internacional do Azeite de Oliva Virgen Extra (AOVE) e da Selecção Espanhola da Cozinha Profissional. O trabalho de investigação deste chef, nascido em 1980 em Málaga, tem como objectivo estudar o azeite virgem extra, o elemento principal dos pratos da sua autoria para o seu mais recente projecto de restauração, o Maroleum Restaurante Oleoteca, na sua terra natal. O público vai ditar quais as iguarias mais saborosas, no que toca à presença de azeite. São seis os pratos da noite.

O Vinho no ‘Douro TGV’

A Seca de um Bem Líquido é o tema certo para levantar várias questões em redor deste assunto. Estará a Região Demarcada do Douro atenta às alterações climáticas? Por que não é permitido regar a vinha na RDD? A rega influenciará negativamente as uvas e os vinhos do Douro? Estas são apenas algumas das perguntas lançadas por Guilherme Marques Martins, da Science Agro Bordeaux e a responder a partir das 9h30, de sexta-feira, dia 25 de maio. A esmiuçar os Casos reais e a realidade no e para o Douro estarão João Santos, Professor da UTAD, e Alfredo Silva, do IVDP.

Também pelas 9h30 terá lugar o II Concurso de Vinhos Douro TGV, que este ano inova ao ter como jurados apenas enólogos. Às 16h começará a Douro TGV – Mostra de Vinhos e Sabores, na qual produtores de várias regiões (não apenas Douro) dão a conhecer e provar os seus néctares, aos quais se juntam produtos gastronômicos, esses sim, em exclusivo da região. Às 18h30 é tempo de anunciar e entregar os diplomas aos vencedores do concurso de vinhos.

Sobre o Regia Douro Park

O Regia Douro Park — Parque de Ciência e Tecnologia de Vila Real foi inaugurado em maio de 2016 e está focado nas áreas agroalimentar, agroindustrial, enologia, vitivinicultura, economia verde, valorização ambiental e tecnologias agroambientais. Promovido pelo Município de Vila Real, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e pela Portuspark — Rede de Parques Tecnológicos e Incubadoras assume-se como um pilar de desenvolvimento econômico integrado, apostando nas fortes valências da UTAD e da região.

Constitui uma nova centralidade empresarial no Douro. O Parque conta com múltiplas valências de suporte a empreendedores e empresas, projetos empresariais, investidores nacionais e internacionais, promoção da investigação, assim como desenvolvimento e transferência de tecnologia e conhecimento. Contempla uma Incubadora-Aceleradora de Empresas, um Centro de Negócios (Douro Business Center), um Polo Tecnológico de Excelência e Lotes Industriais.

Abaixo, imagens do evento Douro TGV 2017:

Comentários

Comentários