Quando viajamos para outros países é quase impossível não voltar com a mala cheia. Para muitas pessoas, viajar é sinônimo de fazer compras, conhecer novas culturas e tentar trazer lembranças para sua terra natal. No entanto, nem sempre é tão fácil transportar suas novas aquisições com segurança, principalmente quando estamos falando de vinhos.

Vinho no avião - Viva o VinhoClaro que sua viagem pela Europa, Argentina, Chile e outras regiões produtoras deve ter rendido uma boa dose de cultura e gastronomia, então por quê não levar um vinho para casa e se lembrar dessa incrível experiência? Para isso é necessário ter algumas regras claras:

  • Na bagagem de mão, em vôos nacionais, é permitido levar duas garrafas de vinho. Já no caso de despache, não há limite, embora haja o perigo de excesso de peso e custo adicional (o peso varia de acordo com o voo – consulte a companhia aérea).
  • Nos vôos internacionais não é permitido levar qualquer tipo de embalagem com mais de 100ml na bagagem de mão. Já no caso de malas despachadas, até 12 litros de vinho ou 16 garrafas de 750ml são permitidas, por pessoa.

É importante estar sempre atento às viagens internacionais. Por mais que os aeroportos reforcem as medidas de segurança que impedem o transporte de líquidos em bagagens de mão, muitas pessoas acabam esquecendo no momento de fazer as malas. O resultado disso é uma bela garrafa sendo separada de seu dono ao passar pelo raio-x do aeroporto.

Vinho no avião - Viva o VinhoPara cuidados com o transporte é importante saber que:

  • Caso queira comprar várias garrafas do mesmo vinho, fique preparado para uma possível parada na alfândega, já que isso pode ser considerado como uma compra para comércio, o que pode trazer mais taxas e uma possível apreensão.
  • Ao colocar as garrafas no meio das roupas, para protegê-las do impacto, é importante lembrar de embalá-las para que não vazem ou quebrem, e de usar bem as roupas para amortecer os impactos.
  • Ao comprar um vinho, verifique se a loja não possui alguma embalagem especial para despache. Há também malas próprias para esse tipo de transporte, garantindo maior segurança.
  • Se optar por trazer dentro da mala comum, uma boa medida é embalar bem cada garrafa com plástico bolha, o que também amortece qualquer impacto.
  • Após qualquer vôo, é sempre bom deixar o vinho descansar pelo menos 15 dias, por conta da excessiva manipulação da garrafa e variações de temperatura.

Seguindo essas dicas você se livra de preocupações e consegue aproveitar sua viagem, além de sempre poder reviver os bons momentos e experiências tomando uma boa taça de vinho!

Update:

Dica da Silvia Mariele Borba Budag:

“Melhor que enrolar em plástico bolha, é utilizar fraldas descartáveis… Nós colocamos duas fraldas em cada garrafa, e depois dentro de um plástico. Se por algum motivo a garrafa quebrar, a fralda ajuda a absorver. Nossa última viagem foi para o Chile e a Argentina e todas as garrafas chegaram em Florianópolis sãs e salvas.”

Vinho no avião - Viva o VinhoDica do Leonardo Barcellos:

“Eu também uso fraldas ou forros absorventes de cama para enrolar as garrafas. Depois plástico bolha e fita. Já usei essa técnica em mais de uma centena de garrafas e nunca quebrou nenhuma.”

Dica da Elita Cruz Silva:

“Voltamos de Bento Gonçalves há algumas semanas e lá há a liberação de transportar 5L na cabine.”

Se você tiver alguma outra dica, coloque nos comentários que acrescentamos aqui no post!

Comentários

Comentários