Nós, no ônibus em direção à Bairrada

Imagine um jantar para mais de 1.000 pessoas, em que a carta de vinhos tinha 100 rótulos disponíveis — e você não precisava escolher nenhum deles, todos eram servidos à vontade! Sim, isso é possível, e nós estivemos lá! Foi no último dia 15 de fevereiro, sexta-feira, durante a premiação dos Melhores de Portugal pela Revista Grandes Escolhas.

A festa foi no Centro de Alto Rendimentos de Anadia (Velódromo Nacional), em plena Região Demarcada da Bairrada. Ainda não conhecíamos nada naquela área. Saímos de Lisboa por volta das 17 horas, em um ônibus fretado pela organização do evento. Foram cerca de duas horas e meia de viagem. No caminho, videiras e mais videiras, o sinônimo de Portugal.

Apesar da quantidade de pessoas, estava tudo muito bem organizado. Pudemos encontrar velhos e novos conhecidos, provar vinhos excepcionais e nos divertimos muito. Quem nos segue no Instagram pôde acompanhar ao vivo, nos nossos Stories (@vivaovinho).

Agora, completo esse post com as informações enviadas pela Joana Pratas, nossa amiga que faz a assessoria de imprensa para os eventos da Grandes Escolhas (entre muitos outros clientes do setor vinícola de Portugal). Conheçam um pouco mais sobre esse prêmio, os vencedores deste ano, e sintam o clima da festa nas fotos. Como dizem os portugueses, o evento foi brutal!

Quem foram os premiados

Os Troféus Grandes Escolhas e o Top 30 Grandes Escolhas são fruto de um longo e árduo trabalho efetuado ao longo de 2018, durante o qual redatores e provadores da revista Grandes Escolhas percorreram Portugal de ponta a ponta, no âmbito de um roteiro vínico que se estendeu pelas ilhas atlânticas. O itinerário reuniu um conjunto diversificado de vinhas, adegas, centros de enoturismo, restaurantes, lojas de vinho, wine bars, para recolher informações, descobrir os projetos e conhecer de perto as pessoas que os concretizam. A este vasto leque de pesquisa e redescoberta está associada a prova de mais de 4000 referências vínicas, feito que permitiu estabelecer O Melhor de Portugal e, posteriormente, numa escolha mais seletiva o Top 30 Grandes Escolhas.

Paul Symington, o Senhor do Vinho

Começando pelos Troféus Grandes Escolhas, o prêmio Senhor do Vinho foi entregue a Paul Symington. Esta importante distinção é atribuída a quem extravasou as expectativas no mundo vitivinícola e este homem – escocês de nascimento, mas duriense de alma – fá-lo ao desenvolver o patrimônio vinhateiro de um dos maiores grupos associados ao vinho do Porto, a Symington Family Estates, eleita, também ela, como Empresa Vinhos Generosos.

Porque vinho e comida são uma dupla inseparável à boa mesa portuguesa, passamos para o Prêmio David Lopes Ramos dado à dupla Licínia Ferreira e Paulo Rodrigues, do restaurante Rei dos Leitões, na Mealhada. Com efeito, é de destacar a determinação de ambos no que diz respeito à mudança de paradigma na cozinha, com a forte aposta numa carta criativa, sem descurar o típico ‘Leitão assado à moda da Bairrada’ e, muito menos, a qualidade do produto, para além do serviço de excelência e a extraordinária garrafeira.

O produtor e enólogo António Maçanita arrecada, por sua vez, o prêmio Singularidade. A razão para esta eleição está associada aos projetos que tem vindo a implementar no mundo do vinho, assim como pela ousadia, criatividade e determinação demonstradas desde o início da sua carreira profissional, aos 24 anos.

Na linha da enologia está garantido o troféu Enólogo, repartido, este ano, por Celso Pereira e Jorge Alves, quer pelo trabalho individual que fazem em diferentes produtores, quer no âmbito do projeto Quanta Terra partilhado pelos dois; e o galardão Enólogo Vinhos Generosos foi para António Agrellos, pelos Porto Vintage e Tawny da Quinta do Noval que saíram das suas mãos no ano passado. Já que o vinho é fruto da vinha, é de convir anunciar o prémio Viticultura atribuído à Quinta do Crasto, propriedade duriense da família Roquette, apostada numa viticultura de precisão, com profundo respeito pelo terroir.

António Maçanita, prêmio Singularidade

O prémio Produtor Revelação leva-nos, à semelhança da edição anterior, à Região Demarcada dos Vinhos Verdes, desta feita a Monção e Melgaço, “à boleia” de Miguel Queimado, mentor do projecto MQ Vinhos, produzidos na Quinta do Mato, propriedade da família desde 1683. O galardão de Produtor é, por seu turno, para o Monte da Ravasqueira, o projeto vitivinícola da família Mello em Arraiolos, no Alentejo, graças ao profissionalismo e qualidade dos vinhos apresentados. O troféu Cooperativa já está nas mãos da Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico, nos Açores, devido à crescente qualidade e identidade dos vinhos aqui produzidos.

Luís Pato, da Baga Friends

Na categoria Organização ganha o prémio a associação de produtores ‘Baga Friends’, cujo objetivo consiste em promover a casta rainha da Bairrada, bem como impulsionar a região, quer no nosso país, quer além fronteiras. As Casas do Côro, em Marialva, ganham na categoria de Enoturismo, pelo seu forte impacto na área do turismo e, consequentemente, do vinho.

Do campo passamos para a cidade, com a Garrafeira 5 Estrelas, em Aveiro, a ganhar o prémio Garrafeira, e o Club del Gourmet do El Corte Inglès de Lisboa a receber o galardão de Loja Gourmet. Em contrapartida, é na aldeia de Quintadona, no concelho de Penafiel, que está a Casa da Viúva, a vencedora do prémio Wine Bar.

Vamos, agora, directos para a mesa, desta vez com o premiado restaurante Feitoria, no Altis Belém Hotel & Spa, em Lisboa, a destacar-se na categoria de Restaurante, graças ao estilo depurado da cozinha do chef João Rodrigues que, há dez anos, se mantém de pedra e cal nesta casa. 

Mariana e Carla Paralta, da Garrafeira 5 Estrelas
Ivo Peralta, prêmio Sommelier

A grande escolha do Restaurante Cozinha Tradicional é a Taberna Ó Balcão, do chef Rodrigo Castelo, em plena cidade de Santarém; e o Restaurante Cozinha do Mundo – a novidade desta edição – fica para o espaço de restauração dedicado à cozinha chinesa, o The Old House, no Parque das Nações.

Ainda dentro da esfera da restauração, mas já na categoria de Sommelier, é de enaltecer o trabalho de Ivo Peralta, o escanção do Epur, a cozinha do chef Vincent Farges, no Chiado, em Lisboa.

O Top 30 Grandes Escolhas, outro dos momentos mais aguardados desta noite de gala, reúne os melhores entre os melhores em cada região e categoria. Nesta lista estão um espumante de Trás-os-Montes, três referências vínicas da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, dois dos quais da sub-região de Monção e Melgaço. Há, ainda, seis vinhos do Douro – cinco tintos e um branco –; quatro tintos do Dão; dois tintos e um branco da Bairrada; um do Tejo; um da Península de Setúbal; quatro tintos e um branco do Alentejo. Nos generosos constam quatro vinhos do Porto, da categoria Vintage, um vinho Moscatel e um vinho Madeira.

TOP 30 Grandes Escolhas :: Lista de Vinhos

  • Vértice Reg. Duriense Espumante Chardonnay branco 2010 (Caves Transmontanas)
  • Expressões Vinho Verde Monção e Melgaço branco 2016 (Anselmo Mendes Vinhos)
  • Soalheiro Primeiras Vinhas Vinho Verde Monção e Melgaço Alvarinho branco 2017 (Vinusoalleirus)
  • Quinta de San Joanne Vinho Verde Superior branco 2015 (Casa de Cello)
  • Chryseia Douro tinto 2016 (Prats & Symington)
  • Mirabilis Douro Grande Reserva tinto 2015 (Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo)
  • Pintas Douro tinto 2016 (Wine & Soul)
  • Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa Douro tinto 2015 (Quinta do Crasto)
  • Quinta do Vale Meão Douro tinto 2016 (F. Olazabal & Filhos)
  • Vale D. Maria Vinha de Martim Douro branco 2017 (Quinta Vale D. Maria Vinhos)
  • Quinta dos Roques Dão Reserva tinto 2015 (Quinta dos Roques)
  • Ribeiro Santo E.T. Dão tinto 2013 (Magnum Carlos Lucas Vinhos)
  • Teixuga Dão tinto 2014 (Caminhos Cruzados)
  • Varanda da Serra Dão tinto 2013 (Ares do Dão)
  • Kompassus Private Collection Bairrada tinto 2013 (Kompassus Vinhos)
  • Luís Pato Vinha Barrosa Bairrada tinto 2015 (Luís Pato)
  • Quinta das Bágeiras Pai Abel Bairrada branco 2016 (Mário Sérgio Alves Nuno)
  • Falcoaria Do Tejo Grande Reserva tinto 2015 (Quinta do Casal Branco)
  • António Saramago Reg. Península de Setúbal Superior tinto 2013 (António Saramago Vinhos)
  • Dona Maria Alentejo Grande Reserva tinto 2013 (Júlio Bastos)
  • Esporão Private Selection Alentejo Garrafeira tinto 2013 (Esporão)
  • Herdade do Rocim Clay Aged Alentejo tinto 2016 (Rocim)
  • Incógnito Reg. Alentejano tinto 2014 (Cortes de Cima)
  • Procura Reg. Alentejano branco 2016 (Susana Esteban)
  • Dow’s Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates Vinhos)
  • Graham’s The Stone Terraces Porto Vintage 2016 (Symington Family Estates Vinhos)
  • Quinta do Noval Nacional Porto Vintage 2016 (Quinta do Noval Vinhos)
  • Taylor’s Porto Vintage 2016 (Taylor Fladgate & Yeatman)
  • Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 20 anos 1997 (Bacalhôa Vinhos de Portugal)
  • Cossart Gordon Madeira Bual 1989 (Madeira Wine Company)

Divirta-se com as fotos da festa. Em quantas fotos conseguem achar eu e o Emanuel?

Comentários

Comentários