Quase todos os anos, passamos o Dia dos Pais na na casa da minha irmã em Atibaia. Assim, reunimos a nossa família e também a do meu cunhado, formando um grande grupo. Infelizmente ficou faltando apenas nossa irmã mais nova. Ela é médica e estava novamente de plantão. De um lado, portugueses; do outro, italianos; e todos, em comum, apaixonados por vinho e boa comida.

pais-9

Terra d’Uro 2010 – 92 Pontos RP

O final de semana todo foi uma grande festa. No Dia dos Pais, meu cunhado assumiu a churrasqueira, e os vinhos foram passando pela mesa, contribuição de cada convidado.

O primeiro deles foi o que nós levamos, o ótimo espanhol Terra d’Uro 2010. Ao abrir a garrafa, já se percebia a madeira, resultado de 20 meses de barrica, os aromas marcantes e a cor densa – só isso já era um convite para degustá-lo. O paladar era persistente, maduro, com taninos no ponto para um vinho encorpado. Começamos bem.

A seguir, abrimos um Quinta da Bacalhôa 2011, um vinho bem conhecido, daqueles que têm uma constância de qualidade ano a ano surpreendente. Pode-se dizer tranquilamente que ele entrega muito mais do que se paga por ele.

Meu cunhado tem uma boa adega em Atibaia e anunciou que a última garrafa do dia seria um vinho de 15 anos. Por brincadeira, falou para o Emanuel que seria um Chapinha. Claro que ele duvidou. Meu cunhado aproveitou e lançou o desafio: “Se eu tiver, você vai beber a garrafa toda. Topa?”.

Desafio aceito, ele volta da adega com uma garrafa de San Tomé: “Agora vai ter de tomar!”. Rimos muito! O Emanuel tomou uma taça. “É suco de uva”, sentenciou. Meu pai também experimentou, até o dono da garrafa experimentou! A gargalhada foi geral.

Emanuel e meu cunhado "degustando" um San Tomé

Emanuel e meu cunhado “degustando” um San Tomé

Mas a estrela do dia ainda estava por vir. E realmente tinha 15 anos de garrafa. Era o italiano Reserve Santa Restituta Sugarille – Brunello di Montalcino 2000. O vinho era simplesmente sensacional. Vale um post exclusivo sobre ele, que o Emanuel fará dentro de alguns dias.

Por enquanto, fiquem com mais algumas fotos do dia divertido que passamos em família, e com a avaliação do Terra d’Uro 2010. E não esqueça: se você já tomou esse vinho, dê a sua nota também. É só ir até o finalzinho do post, logo após a nota que demos para o vinho, e clicar nas estrelas ao lado de User Rating. Participe, queremos saber a sua opinião!

Eu, minha irmã e nosso pai

Eu, minha irmã e nosso pai

Meu cunhado, seu pai, irmã e sobrinho

Meu cunhado, seu pai, irmã e sobrinho

Eu e minha mãe acabando com a sobremesa!

Eu e minha mãe acabando com a sobremesa!

E tudo com uma vista maravilhosa dessas

E tudo com uma vista maravilhosa dessas

Fotos: Emanuel Alexandre Tavares e Renata Pacheco Tavares
Terra d'Uro 2010
  • Ao abrir a garrafa
  • Na taça
  • A prova
  • Meia hora depois
4.3

Minhas impressões

Um vinho para ser lembrado e comprado de novo. Maduro, firme, um espanhol de boa estirpe. É produzido a partir de vinhas da casta Tinta de Toro com mais de 90 anos de idade, estagia 20 meses em barricas de carvalho francês. Recebeu 92 Pontos de Robert Parker. Quer dar um vinho para um grande amigo? Esse será com certeza um belíssimo presente.

Sending
User Review
0 (0 votes)
Comments Rating 0 (0 reviews)

Comentários